Médicos Letra Feia

Por Que Médicos Têm Letra Feia?

Você já deve ter notado uma curiosa característica comum a muitos médicos – a letra feia, praticamente ilegível. Mas por que isso acontece?

Só em 2007, o Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas registrou 1853 casos de intoxicação por erro médico. Desses, estima-se que 10% sejam por causa dos “garranchos”. É o caso de um paciente de Adamantina (SP), que devia comprar um remédio para gripe (Dipirona) e acabou com um para o coração (Digoxina).

Possíveis causas do problema

Esse cenário pode ser explicado por alguns motivos. Além dos fatores pessoais – muitos já escrevem mal desde o colégio -, as exigências da profissão colaboram para a piora da letra. Muitas consultas em sequência e cargas extenuantes de trabalho geram pressa para alguns processos, tais como escrever receitas, prontuários e laudos.

Além disso, a comparação é injusta. Em qual outra profissão o cliente tem contato direto com a letra do profissional? Além dos professores, quase nenhuma. Ninguém julga a caligrafia de engenheiros, contadores, jornalistas, advogados, etc. O defeito parece exclusividade dos médicos, quando pode ser comum em qualquer profissão.

médicos com letra feia e ilegivel

Receita ilegível é crime – e dá cadeia!

Independente das causas, a péssima caligrafia de alguns médicos pode gerar muitos problemas aos pacientes. Por isso, em 1975, o governo estabeleceu uma lei proibindo médicos de escreverem de forma ilegível em receitas. Além da lei, existe um decreto federal e um artigo no Código de Ética Médica que obrigam o médico a escrever de forma legível. O não cumprimento dessa lei pode causar punições e até a cassação do médico e do farmacêutico que vender os medicamentos errados.

A solução tecnológica

Apesar do estabelecimento de leis e punições aos profissionais que insistirem em escrever pessimamente, o problema não foi resolvido. Mesmo hoje em dia, 40 anos após a criação da lei, ainda é comum encontrar receitas ilegíveis e problemas na hora de comprar medicamentos na farmácia.

A solução parece vir não pela lei, mas pela tecnologia. Softwares de gestão hospitalar, como o Visual ASA, possuem mecanismos de entrega de receitas e exames online. Desta forma, o médico digita a prescrição pelo programa e o paciente pode acessá-la de onde quiser e com a legibilidade garantida.

Essa é uma das muitas soluções tecnológicas que a Tecnoarte desenvolve para clínicas e consultórios. Se você possui uma clínica ou consultório, a adoção de tecnologias hospitalares pode ser a solução para os seus problemas. Com a entrega de prescrições online, você facilita a vida do paciente e ainda evita problemas judiciais. Os dois saem ganhando, e as chances de o paciente voltar ao seu estabelecimento aumentam. Vem conversar com a gente pra ver aonde mais podemos te ajudar!